Batendo papo com Leão.   Posted by DM.Group: 0
DM
 GM, 176 posts
Sat 7 Jan 2012
at 10:59
Batendo papo com Leão
Quando Barbantar abre a porta, vocês sentem o cheiro ainda mais forte invadir as suas narinas e então veem o impensável.

Dentro da casa, que é como se fosse um grande salão de baile, existe ao longo da parede lateral direita vários corpos de pessoas, pelo menos uns 12, que estão dependurados como se em um matadouro, totalmente desnudos e com vários deles sem pedaços do corpo, como se tivessem sido literalmente fatiados.

Mais para frente, no outro canto do salão, há uma mesa de refeições, ricamente ornamentada.

Na parte posterior do salão existe como um palco e uma parede que corre ao fundo que tem duas entradas laterais.

As janelas são grandes mas estão todas cobertas com cortinas pesadas e fechadas.

Zocram entra no salão invisível deixando os leões e seu cavalo do lado de fora. Usa o seu onix dog, que apesar de ficar farejando e olhando para tudo quanto é lado, não acha nada.
Bluepearl entra hiding in shadow e moving silently enquanto procura por armadilhas. [não encontra nada]
Black Fox entra e usa seu tracking para tentar rastrear o rakshasa. [não encontra nada]
Verdum entra voando e dá uma geral por cima do salão.
Xavroar ao presenciar a cena começa a vomitar compulsivamente.
William entra com seu elemental e fica junto com o gnomo o ajudando.
Barbantar entra e vai até o fundo, varrendo o backstage com suas espadas porém não encontra nada também.

This message was last edited by the GM at 11:26, Sat 07 Jan 2012.

Rakshasa
 NPC, 6 posts
Sat 7 Jan 2012
at 11:22
Re: Batendo papo com Leão
De repente vocês escutam uma voz vindo da direção da mesa:

"Muito bem, vocês mostraram que não são tão inúteis quanto os outros humanos.

Tenho um acordo a propor.

Você recuperam algo que é importante para os Rakshasas e em troca eu e meu povo saímos deste vale e entrego para vocês Informação e Reféns.

Os reféns eram a próxima leva de carne fresca e estão inteiros e vivos, porém paralisados e em um lugar seguro.

Com relação à informação, posso contar por que estamos aqui e dar informações sobre Wolover's Keep.

O que eu quero de vocês? Que encontrem um item que deve estar em Wolover's Keep.

Como já devem ter ouvido, ninguém retorna de Wolover's Keep. Nem mesmo Rakshasas.

Um Rakshasa de um dos meus clãs, entrou lá com um cetro. O cetro é um item que garante a liderança entre os rakshasas no nosso plano original, portanto sem ele tenho que ficar nesse plano nojento e pior ainda, outros mais virão.

Por isso tantos de minha raça aqui, estávamos nos preparando para recuperar o item.

Como vocês acabaram com boa parte de meus súditos, é justo que tomem o seu lugar.

Podemos lutar ou negociar, porém apesar de vocês matarem vários de meus súditos, eu ainda não estou sozinho e nem os reféns."
DM
 GM, 178 posts
Sat 7 Jan 2012
at 11:23
Re: Batendo papo com Leão
IMPORTANTE
Todos os personagens de vocês, pelo nível de experiência, sabem muito bem sobre rakshasas. Todos vocês tem o conhecimento do Monsters ao longo da aventura.

Portanto vocês sabem que o Rakshasa é Lawful (aliás, ele é o único que dá pra confiar em seguir um acordo, já que nenhum player é lawful, hehehe)

Também sabem que apesar de inominável e abominável, rakshasas quando no plano material se alimentam de carne humana fresca.


This message was last edited by the GM at 11:27, Sat 07 Jan 2012.

William Murdock
 player, 73 posts
 HP: 58 [46] AC: -10
 3|7|6|9|8
Sat 7 Jan 2012
at 12:41
Re: Batendo papo com Leão
William distraiu-se no início da fala do Marajá, pois proferia palavras de conforto ao gnomo enquanto buscava alguma erva para tentar melhorar sua situação física, apesar do enorme choque emocional que todos passavam naquele instante.


´Talvez eu não tenha prestado atenção suficiente, mas quantos seriam os reféns, Marajá? Se inicia a negociação creio que sua posição tenha modificado significativamente em relação ao momento em que o jovem Almirante Bluepearl lhe oferecera uma transação, então espero maior colaboração de sua parte.´

Dirigindo-se aos demais e ao elemental:

´Por favor, companheiro servidor de Istishia, peço que ajude quem for lidar com os corpos do povo local ali no canto. Se puder, auxilie a purificar os corpos com a benção de Istishia (banho!) para que providenciarmos o correto funeral deles.´

This message was last edited by the player at 12:44, Sat 07 Jan 2012.

Zocram Faldorn
 player, 71 posts
 HP 29 [105] AC -4
 saves 5|7|6|5|8
Sat 7 Jan 2012
at 12:43
Re: Batendo papo com Leão
Zocram, deixando sua situação de invisibilidade, dirige-se ao Raksha:

"Não haverá acordo enquanto houver reféns Raksha. Usando de suas palavras, ninguém volta de Wolovers Keep, nem vcs, portanto o que vc está nos propondo é simplesmente que, após matarmos seus súditos, que viremos as costas deixando-os com um estoque de alimento razoável e que banquemos os garotos de entrega numa missão impossível, é isto mesmo? Por favor, não insulte nossa inteligência."

"Se vc libertar o vilarejo e nos acompanhar para fora dos limites da cidade, poderemos falar sobre nossas necessidades mútuas relacionadas ao Keep. Caso contrário que se cesse o falatório"
Admiral Bluepearl
 player, 101 posts
 HP: 59[89] AC: -5
 ST: 6 | 3 | 5 | 9 | 4
Sat 7 Jan 2012
at 12:55
Re: Batendo papo com Leão
"Demônio! Eu queria arrancar sua cabeça para pendurar em cima da lareira!", se recompõe, "Vamos salvar os reféns e garantir que nunca mais volte aqui."

"Amigos, vamos começar com as condições: "
  • Vai libertar as mulheres e crinças reféns como sinal de boa fé.
  • Nós vamos levar esse cetro aí na sua cintura como garantia.
  • Não vai mais praticar nenhum ato de maldade até voltarmos.
  • Você terá que reparar o mal que fez aqui.
    • primeiramente dar um jeito de ressuscitar aquelas pessoas ali, você tem a capacidade de levantar uma por dia, quando voltarmos já terá terminado.
    • Vai pagar uma indenização para cada uma dessas pessoas.
    • Ressuscitar não é transformar em undead!!! É trazê-los de volta à vida assim como era, em perfeitas condições mentais, de saúde e espirituais.
  • Vai alimentar os reféns enquanto estivermos lá e garantir que nenhum mal lhes aconteça
  • Quando voltarmos com os dois cetros, você vai embora em paz e nunca mais voltará para Cormyr.
  • Este acordo implica não somente você, mas seus súditos, descendentes e prepostos.


"amigos, o que mais podemos exigir?"
William Murdock
 player, 74 posts
 HP: 58 [46] AC: -10
 3|7|6|9|8
Sat 7 Jan 2012
at 13:03
Re: Batendo papo com Leão
´Bluepearl, suas condições me satisfazer. Já, Zocram, antevejo um dilema. Ou nos aliaremos a um Rakshasa para resolver a missão, sendo que sua presença física seria nossa garantia de cumprimento de condições, ou dependeremos da palavra dele, seja aqui, seja fora da cidade. Em que pese serem duas dificílimas opções, eu ainda creio que depender da honra daquele que nós enfrentamos, seguindo as condições de Bluepearl, fere menos meus valores pessoais do que me aliar a um ser maligno. Percebe o conflito moral?´
Verdum Bonestaff
 player, 89 posts
 63[68]AC:-11
 Saves:3|-2|0|2|-1
Sat 7 Jan 2012
at 13:09
Re: Batendo papo com Leão
In reply to William Murdock (msg #8):

"Bluepearl está certo. Façamos assim."
Rakshasa
 NPC, 7 posts
Sat 7 Jan 2012
at 16:42
Re: Batendo papo com Leão
"Vamos ver se vocês entendem. Eu não quero ficar nesse plano imundo. Mas também não vou entrar em wolover's Keep com risco de morrer. Mesmo sendo imortal o processo todo é muito irritante e demora muito.

Tomamos essa cidade como base de operações para que meus súditos pudessem ir buscar o cetro.

Porém vocês se mostraram muito mais competentes que eles e talvez tenham mais chance de sucesso.

Conhecendo os humanos, os reféns são a única moeda de barganha que eu tenho e não vou abrir mão dela.
Rakshasa
 NPC, 8 posts
Sat 7 Jan 2012
at 16:47
Re: Batendo papo com Leão
As pessoas foram mortas para alimentar apenas os Rakshasas que estao na cidade ou que chegarão em breve.

Ainda existem 10 outros em nosso poder, porém estao paralisados e nao necessitam de comida ou bebida.

Concordo com as condições. Mas se eu os trazer de volta à vida, será sem suas peles e pedaços. Eu nao tenho o poder de restaurá-los, portanto morrerão em seguida.