5 - A Fortaleza Vermelha.   Posted by Narrador.Group: 0
Narrador
 GM, 529 posts
Wed 11 Feb 2015
at 23:00
Re: 5 - A Fortaleza Vermelha
Como M'Weru não responde, os bantanus vão embora. Pode-se perceber em seu rosto que eles estão preocupados. Será que fizeram algo de errado. Será que a sangoma viu algo maléfico em seu destino?
Eyja Styrdottir
 player, 239 posts
 Skadian (Einheir)
 Huskalar (Beserker)
Thu 12 Feb 2015
at 01:23
Re: 5 - A Fortaleza Vermelha
Eyja se apoia no machado, ainda não havia chegado a vez de falarem.
M'Weru
 player, 151 posts
Thu 12 Feb 2015
at 10:09
Re: 5 - A Fortaleza Vermelha

Foi mal não falar com os bantanu... coitados vão pensar que estão amaldiçoados.

Conor você chama muito atenção... Diz M'Weru
Conor
 player, 258 posts
 Meio-atlante
 Meio-amizani
Thu 12 Feb 2015
at 13:02
Re: 5 - A Fortaleza Vermelha
Conor faz careta para M'Weru e depois se lembra que ela é cega. Ele dá um passo em direção aos guardas e fala em yaurcoano:

Seguimos para Guamaka para vender nossa mercadoria. Mas gostaríamos de respeitosamente requisitar uma audiência com o ilustríssimo General Apo-Mayta.

Guarda
Thu 19 Feb 2015
at 15:01
Re: 5 - A Fortaleza Vermelha
Em yaurcoano:

Coloque seus documentos no cesto. E diga por qual motivo deseja ver o General.
Conor
 player, 259 posts
 Meio-atlante
 Meio-amizani
Thu 19 Feb 2015
at 17:33
Re: 5 - A Fortaleza Vermelha
Conor traduz a ordem do guarada para seus amigos e põe seus documentos no cesto.

Trazemos uma mensagem de Moray.

Guarda
Thu 19 Feb 2015
at 19:54
Re: 5 - A Fortaleza Vermelha
O guarda examina detidamente os documentos.

Aqui diz que vocês são mercadores. Por que a mensagem não veio com os mensageiros habituais?

This message was last edited by the GM at 20:12, Thu 19 Feb 2015.

Conor
 player, 260 posts
 Meio-atlante
 Meio-amizani
Thu 19 Feb 2015
at 20:05
Re: 5 - A Fortaleza Vermelha
É um comunicado pessoal para o general Apo-Mayta da autoridade de Moray.  A nós, como mercadores, não foi dada muita satisfação sobre o conteúdo da missiva nem o porquê deste método pouco ortodoxo de envio. Suponho que tenha algo a ver com confidencialidade, mas não posso dizer com certeza, porque não domino os caminhos da política, diz Conor, tentando ao máximo soar como um humilde comerciante.

No entanto, se o senhor está desconfiado de algo, não há problema algum. Seguiremos nosso caminho e o senhor depois explica para o general porque ele não recebeu a mensagem...

Narrador
 GM, 530 posts
Wed 25 Feb 2015
at 15:05
Re: 5 - A Fortaleza Vermelha
Diante das palavras de Conor o guarda fica meio sem saber o que fazer.

Esperem - ele diz. E se afasta para conferenciar com seu companheiro.

Segundos depois, pode-se ouvir o som de alguém lá dentro descendo escadas e correndo pela ponte de madeira.

Após uma meia hora, o guarda aparece novamente e lhes diz, abaixando o cesto:

Coloquem suas armas no cesto. O General irá recebê-los.
Eyja Styrdottir
 player, 240 posts
 Skadian (Einheir)
 Huskalar (Beserker)
Wed 25 Feb 2015
at 15:22
Re: 5 - A Fortaleza Vermelha
Eyja olha feio para a cesta, não gosta da ideia de separar-se de sua arma, ainda mais desta arma que seu pai havia lhe dado, mas não haveria jeito e então colocou a arma na cesta.

"Vou querer de volta e inteira." diz fazendo cara de poucos amigos para o sujeito da cesta
Conor
 player, 261 posts
 Meio-atlante
 Meio-amizani
Wed 25 Feb 2015
at 15:23
Re: 5 - A Fortaleza Vermelha
Conor faz como ordenado e segue as instruções posteriores.
Antinanco
 player, 271 posts
 Guia
 Arqueiro
Wed 25 Feb 2015
at 15:39
Re: 5 - A Fortaleza Vermelha
Antinanco coloca seu arco e demais armas no cesto.
M'Weru
 player, 152 posts
Wed 4 Mar 2015
at 17:08
Re: 5 - A Fortaleza Vermelha

M'Weru não larga de seu cajado, pois não ameaça a ninguém.

Apenas coloca seus documentos com a ajuda do irmão.
Narrador
 GM, 533 posts
Mon 23 Mar 2015
at 05:19
Re: 5 - A Fortaleza Vermelha
Kizwunba deixa suas armas também, e o grupo é autorizado a entrar na fortaleza. As pesadas portas do portão se abrem e um guarda, com uma armadura de fibra de algodão, e uma lança de ponta de obsidiana, os aguarda para escoltá-los.

O grupo percebe que dentro de cada torre, por uma porta abaixo da escada, há uma pequena caserna, com um terceiro e quarto guarda descansando. O seu guia os leva por uma ponte de corda, segura por firmes tocos de árvore. A ponte de corda é muito resistente, e aguenta sem embaraços o peso do grupo, da égua e das lhamas.

Enquanto o grupo entra na fortaleza, o portão principal se fecha. Ao final da ponte de corda, por sua vez, se abre um segundo portão duplo, guardado por mais dois soldados. Assim que eles passam, esses portões também se fecham.

Ao passarem pelo segundo portão, eles são levados por um caminho à direita, por onde com dificuldade passariam dois homens de cada vez. Na grossa parede logo após o portão há janelas gradeadas de bronze, onde aparecem os rostos de mais soldados. A posição destes é perfeita para atacar, com pouco risco, qualquer invasor que tente passar por ali. A opção do invasor ali, seria conseguir passar, ou se lançar no penhasco.

A curiosidade nos olhos dos soldados é evidente, especialmente em relação á égua. Todos os membros do grupo estão acostumados a montar guarda, e sabem que qualquer coisa serve para quebrar a monotonia do serviço, que se divide entre ser ordenado a fazer coisas extremamente rápido, intercalados com dias de monotonia.

Virando a esquina, eles se deparam com um novo portão, que se abre com uma ordem de seu guia. Este lhes diz para deixarem ali os animais. Dali é possível ver o interior da fortaleza. Ao leste, há uma passagem, coberta por um pesado tecido, que lhes tapa a visão. Ao norte se estende uma espécie de corredor/alojamento, que é separado de pequenos quartos de vigia.

Dentro do alojamento, cerca de vinte homens e mulheres os observam, em leitos simples espalhados pelo chão.



Conor
 player, 262 posts
 Meio-atlante
 Meio-amizani
Tue 24 Mar 2015
at 13:18
Re: 5 - A Fortaleza Vermelha
Conor sorri para os soldados, especialmente as mulheres.

Saudações, guerreiros!

M'Weru
 player, 153 posts
Thu 26 Mar 2015
at 11:11
Re: 5 - A Fortaleza Vermelha

M'Weru faz um cumprimento típico.

E segue...
Eyja Styrdottir
 player, 242 posts
 Skadian (Einheir)
 Huskalar (Beserker)
Thu 26 Mar 2015
at 12:32
Re: 5 - A Fortaleza Vermelha
Eyja olha, mas guarda as palavras por agora estavam reservadas para o chefe.
Narrador
 GM, 536 posts
Mon 30 Mar 2015
at 14:08
Re: 5 - A Fortaleza Vermelha
Os guerreiros os cumprimentam de volta, respeitosamente.

O grupo é conduzido pela "caserna". Nos quartos de vigia, eles veem que há mais guerreiros e armações onde estão pendurados arcos e lanças com lâminas de bronze. Em cada quarto, há um barril, cujo conteúdo não dá para descobrir qual é.

Ao final do corredor, do lado direito, abre-se um novo e pesado portão duplo de madeira, e o grupo é levado a uma espécie de pátio, que se debruça csobre o penhasco. Ao norte, há uma estátua com um condor, um puma e uma serpente, que o grupo já aprendeu ser de significação religiosa para este povo. Ainda ao norte, em cada ponta do pátio, há dois tanques de água, com pequenos vasilhames próximos.

Ao sul há cavaletes na parede, onde há outras lanças. Logo acima dos cavaletes, há o que seria uma varanda de madeira, caso a mesma não fosse totalmente fechada. Provavelmente se trata de um corredor no andar de cima. Nele há janelas que dão para o pátio, onde se pode ver mais soldados.

Logo após os cavaletes, há uma pequena passagem para o interior da fortaleza.

O chão é de terra firme, batida ou repetidamente pisada.

Em frente à estátua, se pode ver um homem jovem, de macana e lança, vestido com as roupas da aristocracia. Ele é ladeado por quatro guardas, e outros dois homens com roupas nobres. Um deles, M'Weru identifica como um xamãe o outro traz um cinto com frascos semelhantes aos que eram utilizados por Quai Gon Jin.

O rapaz os interpela.

Trazem uma mensagem para mim, mercadores? Do que se trata?
Conor
 player, 264 posts
 Meio-atlante
 Meio-amizani
Mon 30 Mar 2015
at 14:31
Re: 5 - A Fortaleza Vermelha
Saudações, general Apo-Mayta, diz Conor com uma vênia. Sim, trazemos, mas ela é reservada apenas aos seus ouvidos, excelência.

Conor não ligava para títulos, mas sabia que aqueles que estavam no poder eram enamorados de seus estilos, por isso era generoso com essas palavras quando tinha que tratar com burocratas, oficiais, governantes e outros da mesma estirpe.

This message was last edited by the player at 14:38, Mon 30 Mar 2015.

Antinanco
 player, 273 posts
 Guia
 Arqueiro
Mon 30 Mar 2015
at 18:43
Re: 5 - A Fortaleza Vermelha
Antinanco não estava muito contente de estar nesta situação, cercado de guardas e sem suas armas, mas foi a decisão do grupo.

Ele olha em volta tentando se lembrar de sua visita anterior e buscar a melhor rota de fuga.

Para ele se jogar no penhasco e fugir seria simples, mas para o resto do grupo a fuga parecia quase impossível.
Eyja Styrdottir
 player, 243 posts
 Skadian (Einheir)
 Huskalar (Beserker)
Tue 31 Mar 2015
at 01:51
Re: 5 - A Fortaleza Vermelha
Eyja não estava intimidada cruzou os braços em mudo desafio embora sua expressão não demonstrasse nada.
Narrador
 GM, 537 posts
Sun 5 Apr 2015
at 00:51
Re: 5 - A Fortaleza Vermelha
Como queira. Revistem-no! - diz o general, fazendo sinal para dois de seus guardas.

Os guardas se aproximam de Conor, com caras de poucos amigos.
Conor
 player, 265 posts
 Meio-atlante
 Meio-amizani
Mon 6 Apr 2015
at 12:54
Re: 5 - A Fortaleza Vermelha
Conor levanta os braços lentamente para facilitar o trabalho dos guardas e fica com um semblante calmo e não ameaçador.
Narrador
 GM, 538 posts
Wed 8 Apr 2015
at 21:56
Re: 5 - A Fortaleza Vermelha
Conor é revistado. Ao final, como nenhuma arma é encontrada, o general lhe diz.

Venha comigo. Os demais aguardem aqui.
Narrador
 GM, 540 posts
Sat 18 Apr 2015
at 14:39
Re: 5 - A Fortaleza Vermelha
Apo-Maytra pega um frasco com um de seus auxiliares, bebe seu conteúdo, e deixa o pátio fazendo sinal para que Conor siga a sua frente. os demais ficam no pátio.