PARA CONSULTA RÁPIDA.   Posted by Lightbringer.Group: 0
Lightbringer
 NPC, 4 posts
Sun 25 Nov 2012
at 01:55
PARA CONSULTA RÁPIDA
Eu sou o deus Lightbringer, mas antes de minha insanidade eu era Oceanius, Senhor dos Mares, Senhor das Águas.

Este era meu símbolo sagrado, carregado pelos meus fiéis
- Ele diz tocando o amuleto - Não o via desde antes desse mundo nascer.

Procurem pelos artefatos das Almas preparem-se para a batalha final.

O combustível que queima na barca da Rainha.

A Armadura de Orcbane.

A Harpa de Festival, ignorada pelos meus seguidores.

O martelo do anão maldito.

E o Cajado do Corvo.

Reunam-os, pois em breve o escudo falhará novamente.

Procurem por Joeseth Truthbearer in Gateway...


A luz se desfaz em um clarão deixando todos cegos por um momento.
GM
 GM, 1130 posts
Sun 25 Nov 2012
at 01:57
Passeio no Inferno
Do outro lado, a paisagem até onde a vista alcança é árida, com o chão quebrado de tão seco. O céu revolto com nuvens vermelho sangue. A abertura permite ver a parede externa metálica de uma cidade, onde vocês estão.

Um zumbido baixo que podiam ouvir quando chegaram se torna mais claro, são gritos, como se milhões de pessoas gritando ao longo.

Um vento repentino, quente e desagradável acompanha a mudança de parte das nuvens, até que um pedaço se destaca e avança em direção da cidade, o vermelho se tornando mais pronunciado até que ela explode em uma parede não muito distante, gerando uma chuva de sangue.

A saída da nuvem abre um espaço entre as nuvens, por onde vem uma luz que enche o peito de vocês de esperança. Uma luz como vocês nunca viram nos Céus, ou no constante glow do void.

A fonte dessa luz é um globo no céu, existindo ali resistindo a todos os ataques desse local demoníaco. O globo chama vocês, Lar.
GM
 GM, 1131 posts
Sun 25 Nov 2012
at 01:57
Mensagem no Inferno
GM:
Em meio ao pânico e a percepção do lugar estranho onde vieram parar, apesar de não gerar nem um comentário ou conjectura sobre onde vieram parar quando cruzaram o portal, então ninguém ganha benny por boa atuação, os heróis sentem algo estranho. Começa como um leve incômodo na cabeça, mas aumenta para um ataque em todos os níveis sensoriais. Uma voz ecoa na mente de todos.


VOCÊS ESTÃO AQUI... graças aos céus. Eu não posso aguentar por muito mais tempo... seu mundo está em terrível perigo... o Escudo das Almas está falhando e enquanto o escudo enfraquece, Ele irá recuperar seus poderes... eu preciso de sua ajuda... Rápido!


Os sentidos vão voltando ao normal gradativamente, e com isso percebem uma presença na cidadela, vocês não sabem chegar lá, mas sabem onde está.


OOC:
Tracking para ajudar a "navegar".

Joeseth Truthbearer
 NPC, 16 posts
 I worship the goddess
 of Love
Sun 25 Nov 2012
at 12:34
Combustível da Barca da Rainha
Joeseth parece se animar com a pequena platéia

Que bom que perguntaram. Deixe-me pensar...artefatos da Almas, a batalha final e a falha do escudo... infelizmente esses tópicos fogem do meu conhecimento. - ele fica desanimando de não ter o que contribuir.

Mas se me derem um momento eu posso contar-lhes a história da deusa do Amor.
- ele emenda rápido para não perder a audiência.

As lendas contam que milênios atrás nosso mundo era um só. Quando aquele mundo explodiu os deuses conseguiram segurar os pedaços de terra que hoje formam os Céus.

Eu encontrei indícios que um dos deuses, uma deusa na verdade, se sacrificou para que sua energia mantivesse os mundos unidos.

Mas o sacrifício dela foi além do que qualquer um pensava, tanto da sua essencia foi usada que ela não pode mais seguir para seu descanso final.

Presa a esse mundo sua alma atraiu outras almas, agora também impedidas de passar adiante para o descanso final.

Esses des-mortos se reuniram e organizaram no que hoje conhecemos como Bright Cabal, enquanto a Deusa do Amor que fez o sacrifício maior tem a horrível alcunha de Rotting One.

Ele respira fundo, emocionado.

Eu sou o mais ferrenho opositor e estudioso do Bright Cabal.

A Rainha dos Ossos, um lich ancião, tão apodrecido que não pode deixar sua cabine, vaga pela Shattered City em sua barca. Soulflame é uma nau medonha, escavada no cadáver de um gigantesco dragão.



NOTA do GM: O rifle do Jahz foi encantado com o espírito do dragão que servia de barca para a Bone Queen.

A Bone Queen assombrou a Orca por um tempo, mas vocês conseguiram derrotá-la.

GM
 GM, 1133 posts
Sun 25 Nov 2012
at 12:37
A armadura de Orcbane
Os fantasmas somem, o rosto de Orcbane muda mais algumas vezes, mas finalmente se fixa como uma glowborn fêmea. Apesar da dor dos ferimentos ela sorri com uma expressão serena.

Obrigada... Eu achava que o inferno que vivi antes era ruim, mas... mas não foi nada comparado com dividir o corpo com esse monstro...

A voz dela some, com o final sendo quase um sussurro. Ela desaparece, deixando para trás, somente a armadura antiquíssima.

A armadura parece uma hide armor vagabunda.

Quem veste a armadura sente um instinto assassino aflorar. Assim que alguém experimenta a armadura, os 7 espíritos aparecem novamente.

Nós fomos vítimas desse monstro. Ficamos presos à armadura e obrigados a reagir à sua sede de sangue.

Eles recusam qualquer ordem violenta, mas aceitam servir como tripulação ou ajudar com outras tarefas mundanas.

OOC:

Armadura: Soulhide +3 armor, 12lb, Quem veste ganha o Edge Berserk.

7 espíritos podem atuar como Crew no navio, são imunes a Crew Critical hits. Não sobem de nível. Não cobram salário.

Attributes: Agility d6, Smarts d6, Spirit d10, Strength d6, Vigor d6
Skills: Fighting d6, Intimidation d12+2, Notice d12, Taunt d10, Stealth d12+4, Throwing d12, Piloting d6
Pace: 6; Parry: 5; Toughness: 5
Gear: Thrown objects (Str+d4)
Salvage: None
Special Abilities:
* Ethereal: Ghosts are immaterial and can only be harmed by magical attacks.
* Fear –1: Ghosts cause Guts checks at –1 when they let themselves be seen.


NOTA do GM: Seguindo as pistas do assassino de orcs em Dragon Spine conseguiram encontrar e derrotar Orcbane, recuperando sua armadura.
Padre de Festival
Sun 25 Nov 2012
at 13:06
A Harpa de Festival ignorada pelos meus seguidores
Padre de Festival:
A harpa de Festival é o nosso símbolo sagrado. Os deuses andam entre nós nos céus e lutam e sofrem como todos.

Todos os padres de Festival sonham com poder voltar para casa, mas Lightbringer tornou isso impossível.

A ilha de Festival é Aria. Era a maior, mais linda e civilizada de todas as ilhas. Música fluia de lá e todo o conhecimento do céu era ali armazenado.

O Lightbringer, então Senhor da Loucura, não suportava a música por trazer paz e felicidade aos céus. Ele apareceu em Aria e desafiou Festival. Em sua luta Lightbringer instigou a loucura em Festival e despertou uma fúria desconhecida em seu oponente.

A Loucura foi incapaz de lidar com a dissonância que brotava do corpo de Festival e foi estilhaçado em infinitas partículas, brilhantes com sua loucura. Isso nós conhecemos como Glow.

Enlouquecido Festival dançou e dançou destruindo toda a vida de Aria, deixando nada além de deserto e ruínas.

Quando a loucura acalmou, Festival jurou nunca mais deixar Aria, com medo que entrasse em outro rompante.

Os restos do Lightbringer são tão fortes em Aria que nada ali tem sombra. Ocasionalmente caçadores de tesouro iam para Aria e uma barca cheia de glowmad voltava. O Trade Council estabeleceu um bloqueio ao redor de Aria, nenhum navio pode passar entrar e navios tentando sair são recebidos a tiro, sem aviso prévio.



 
Sem uma autorização do conselho você não consegue terra de Aria. Podem tentar conseguir uma permissão junto ao conselho, mas acredito ser quase impossível.



Spoiler for Common Knowledge (Harvey tem +2 nessa rolagem): (Highlight or hover over the text to view)

É comum piratas e outros fora da lei terem estoques das terras que visitaram.




Spoiler for Common Knowledge: (Highlight or hover over the text to view)

Requisições especiais podem ser feitas ao Trade Council nos Salões do Comércio em Shadowhaven. Dinheiro pode ajudar a desengripar as rodas da burocracia.
Ter ajudado a Nau do Conselho anteriormente, também.




OOC: Todos sabem que os deuses andam entre os homens. Por exemplo, o Battlelord vive nas geleiras dos Draining Seas para manter a cabeça "fria" e não sair destruindo tudo.

This message was last updated by the GM at 13:07, Sun 25 Nov 2012.

-Harvey-
 player, 962 posts
 Renato
 P8,T12,B3,W0,F0
Thu 27 Jun 2013
at 23:07
A Cidadela de Ferro
Jophiel:
A mesma voz urgente que os atraiu até ali, surge novamente em suas cabeças. Dessa vez uma mistura de relatos, imagens e emoções.


Eu sou Jophiel, um dos lanceiros celestiais. Os demônios usavam meu sangue para abrir o portal para o seu mundo, derramando na mandíbula dessa estátua horrível. Meu último ato será um de gratidão e sacrifício. Eu lhes dou o conhecimento para salvar seu mundo e retorná-los para lá.

Seu mundo foi originalmente chamado Heartland, ele foi criado para manter preso o coração do Rei Demônio, o qual tem o poder de destruir toda a criação e refazê-la a sua imagem. Seu coração, que não deve jamais tocar terra ou pedra, gira no núcleo da Heartland. Seus adoradores mortais foram punidos, suas almas arrancadas e utilizadas para forjar o Escudo das almas, a proteção que esconderia a Heartland das legiões do Rei Demônio. Cinco poderosos heróis doaram voluntariamente suas almas para selar o escudo.

O tempo passou, o bastante para até os deuses ficarem complacentes. Quando a guerra veio, todos fomos surpreendidos. Deuses, anjos e mortais se uniram e lutaram uma batalha final. Eventualmente as hordas demoníacas foram rechaçadas e nós selamos o portal que elas criaram. Mas seu ataque era somente uma distração.

Enquanto a batalha cobria a Heartland, demônios feiticeiros,em um templo profanado,  completaram uma magia profana, sugando Heartland para o Inferno.

Reagindo a proximidade do seu corpo comatoso, o coração bateu. Uma vez. E o mundo foi estilhaçado, somente fragmentos restaram, orbitando o coração no centro de um vasto nada. O Escudo das Almas resistiu e a Deusa do Amor abdicou de sua vida imortal para reforça-lo, impedindo que os exércitos do abismo recuperassem seu prêmio final.

Os deuses dentro do escudo descobriram que não podiam deixar o Soulshield e ficaram presos nesse mundo novo e estranho. Mas mesmo deuses não conseguem resistir a influência do abismo. O Senhor dos Oceanos, privado de seu elemento, lentamente enlouqueceu, vocês o conhecem como Lightbringer. Ele amplificou as energias deturpadoras do abismo, criando o voidglow.

O fantasma da Deusa do Amor, incapaz de escapar os Céus mesmo na morte, reuniu os espíritos inquietos dos que morreram no Estilhaçar. Ao longo do tempo ela se tornou a deusa dos não mortos, vocês a conhecem como Rotting One.

Milênios depois, alguma coisa está muito errada. As cinco almas dos heróis foram roubadas enfraquecendo o Escudo das Almas. Demônios estão influenciando os eventos em seu mundo e irão eventualmente destruí-lo.
Vocês já recuperaram duas dessas almas, pois cada uma está aprisionada em uma relíquia. Vocês tem que recuperar as três restantes e restaurar o escudo.

Lembrem-se do que eu disse e sejam fortes. De bom grado vou para minha morte, sabendo que com isso, dei à Criação uma fagulha de esperança. Não me resta muito, me coloquem na mandíbula da estátua. Levará um tempo para que o portal se abra. Eu lhes desejo sorte!


E a voz some.

This message was last updated by the player at 14:05, Wed 24 July 2013.

-Harvey-
 player, 1327 posts
 Renato
 P10,T12(13),B3,W0,F0
Tue 14 Jul 2015
at 18:55
Re: A Cidadela de Ferro
Sacerdote:
Contem-me o que aconteceu, preciso saber dos detalhes.

OOC: Vou assumir que Antman pode descrever as ilusões e Harvey conta do ataque.


O Sacerdote pede mais detalhes aqui e ali e fica com a expressão um tanto triste.

Os seguidores de Festival tentam trazer um pouco de paz e alegria para os Céus e dessa maneira combater o Lightbringer e a loucura que ele trás. Assim como em uma orquestra cada um toca um instrumento e segue as instruções do maestro, para atingir o bem maior.

Mas em verdade, cada padre de Festival é livre para decidir como seguir seus preceitos. A grande maioria opta por uma vida de liberdade e revolução.

Alguns tentam se organizar, como O Coral
- ele abre os braços indicando o Choirhall, mas não esconde um riso de desdem - ou o Requiem - a voz triste ao falar essa palavra.

Toda pessoa tem a sua canção no que consideramos essa sinfonia da vida, alguns padres de Festival alegam que conseguem ouvir quando alguém se torna uma dissonância e defendem que essa canção está na hora de ser terminada.

Pelo que contaram e pelo que vi aqui hoje, O Requiem acredita que a canção dos tripulantes da Orca chegou ao fim.