Resumos.   Posted by DM.Group: 0
DM
 GM, 150 posts
Thu 12 Jul 2012
at 18:10
Resumos
by John

O grupo decide pernoitar na fazenda e ao amanhecer, como havia adiantado a todos, ruan deixa o grupo juntamente com derfel para correr em socorro de sua família. Após o treinamento de todos, em especial de arthas e haggar, o grupo parte, seguindo pela estrada conforme haviam convencionado. Tharival parte a frente como batedor e em pouco tempo de viagem, Tharival avista um pequeno forte e retorna imediatamente em direção ao grupo para comunicar o que avistou. O grupo decide entrar mata adentro e caminhar paralelamente a estrada. Quando avistam o forte, verificam que existem corvos sobrevoando o forte e o grupo conjectura que o forte possa estar vazio e com alguns corpos. O grupo adentra o forte vendo que a porta esta partida em 2 e verifica que existem 18 corpos de soldados do duque, sendo 3 de oficiais. O grupo verifica que este é um grande numero de soldados para defender este pequeno forte. Existe indícios de que uma cova estava sendo cavada, mas não foi concluída e não comportaria todos os corpos. Jhon explana que possivelmente uma patrulha encontrou alguns dos corpos e tentou sepulta-los quando possivelmente foi atacada. O forte foi totalmente saqueado, não há armas, comida, metais, nada, tudo foi saqueado. Jhon pretende recolher a camisa de cota de malha de um dos oficiais, mas Argos diz que seria um absurdo e demonstra-se indignado com tal possibilidade. Jhon releva a fúria do amigo, mas deixa claro que não recebe ordens suas. Argos decide enterrar os mortos, mas verifica que demandaria muito tempo e resolve queima-los. Arthas tenta ressuscitar um oficial com a ajuda da maça, mas nada acontece, tenta com os outros dois oficiais, mas também nada acontece. Alberich realiza a magia detect magic sobre a pilha de corpos, mas não identifica nenhuma magia. Após recolher madeiras para a pira, Argos ateia fogo e aguarda a queima dos corpos em oração. Arthas também faz oração a pelor e verifica que existe uma grande áurea em torno dos corpos e outra em torno de Argos. Arthas também vê 18 pontos de luz deixando a pira em direção ao céu. A queima dos corpos leva em torno de 3 horas e somente depois o grupo deixa o forte e continua sua jornada, agora a pé, pois os cavalos foram desmaterializados no momento em que entraram na floresta. caminham por algumas horas e passam por 3 fazendas, mas revolvem não entrar, contudo ao passarem pela 4ª fazenda, entram e encontram um lugar muito bonito e na parte de trás os corpos de duas crianças. O grupo resolve enterrar as crianças e para pra descansar, neste momento Sinvael vê o que parece ser o espírito de uma criança, ele a identifica como sendo uma das crianças que foram enterradas. o lobo de sinvael oriça os pelos e rosna na direção oposta onde sinvael se encontra. alberich lança uma magia para ver o que se encontra invisível e vê 12 guerreiros com lanças e escudos que aparentemente encontravam-se em posição de ataque. quando Arthas invoca o nome de pelor o grupo dos 12 guerreiros coloca-se em posição de guarda e o símbolo de pelor brilha em seus escudos. sinvael tenta conversar com a menina perguntando o que aconteceu, e esta, quando tenta explicar lança um grito que atinge a todos do grupo com uma força que parece rasgar seus estômagos. jhon a tharival desmaiam, mas logo após jhon recobra a consciência e levanta-se, então o grupo vê imagens como em um cinema onde guerreiros que mudam de faces, enfileiram prisioneiros, executando alguns e introduzindo um objeto no peito de outros que aparentemente faz com que o prisioneiro passe a ser comandado sem expressar vontade. os 12 guerreiros dizem a todos  "vocês não são os defensores", alberich pergunta : "a quem vocês seguem?" os 12 respondem "a Irael" e somem. a criança também. Arthas explica que irael foi um guerreiro semelhante a um arcanjo que lutou contra demônios que no passado tentaram invadir o plano onde o grupo se encontra.
DM
 GM, 158 posts
Sat 28 Jul 2012
at 11:59
Jornada para a cidade dos elfos
By John

"após o desejum, o grupo sai da fazenda continuando sua jornada, passam por algumas fazendas sem adentrá-las, todavia, por volta de 12:30hs passam por um trecho da estrada onde existe uma fazenda a direita e outra a esquerda. resolvem parar para almoçar e encontram o mesmo cenário das outras fazendas, corpos de civis. o grupo discute se deve realizar a prece para os mortos antes ou após enterrar os corpos, então decidem fazer os dois, jhon, com a ajuda de alguns companheiros rapidamente cava as sepulturas. enquanto arthas estava fazendo suas orações depara-se com uma bola de luz que diz ter vindo pelo chamado feito por arthas. diz que seu nome é impronunciável, que consegue viajar entre os planos,que não existe guerra entre os planos e quando é sabatinado, diz que não veio para dar conselhos e sim para ajudar como guerreiro. tharival resolve defecar na floresta mas quando preparava-se para consumar o ato mal cheiroso, sente uma mão tocar-lhe as contas, vira-se e novamente sente uma mão tocar-lhe as costa, vira-se e depara-se com dois olhos vermelhos encarando-o. sai correndo e divide sua experiência com o grupo. o grupo especula que possivelmente seja um fantasma. a bola de luz diz que sente a presença do mal na fazenda, mas não em algum lugar em especial. após o ritual de sepultamento o grupo atravessa a estrada em direção a outra fazenda e lá encontra o mesmo cenário, o grupo enterra os corpos com os devidos rituais e arthas e tarival voltam ao local onde tharival encontrou o fantasma, nada acontece, mas ao retornarem tharival, ao iniciar a travessia da estrada avista um grupo de cavaleiros se aproximando, volta juntamente com arthas e esconde-se em uma das casas. o grupo para e alguns cavaleiros desmontam, tharivam consegue observar que são aproximadamente 20, armados, trajados com cotas de malhas e elmos, não ostentam símbolos do duque ou de pelor e verifica que um dos cavaleiros vai em direção a seu esconderijo. o grupo do outro lado da estrada nada ouve e quando alberich resolve ir em direção a arthas, depara-se com 4 cavaleiros olhando em sua direção. alberich, imediatamente grita insultos aos cavaleiros e volta correndo avisando aos demais companheiros. os cavaleiros partem atrás de alberich, mas o grupo adentra a floresta cerca de 200 metros sob a supervisão de sinvael e lá permanecem em silêncio por 30 minutos. quando retornam encontram a fazenda em silencio que somente é rompido quando tharival avista e chama o grupo. tharival relata que após alberich ter chamado a atenção, os cavaleiros partiram na direção de onde o grupo veio. o grupo percebe a ausência da bola de luz e especula que possa estar morta. resolvem não pernoitar no local e continuam a jornada. ao anoitecer, acampam na floresta a beira da estrada. ao amanhecer alberich escuta um forte estalo em sua cabeça como um "click", sinvael percebe a floresta diferente e arthas percebe o nascer do sol diferente. quando reiniciam a jornada resolvem ir inicialmente a pé e logo no início avistam um velho vindo em sua direção, ele para cumprimenta o grupo, o grupo oferece uma fruta magica de sinvael e água ao viajante, percebem que ele não tem o dedo anelar da mão direita. finalmente o viajante se apresenta como yo o morto e o grupo percebe que ele é um mago. o grupo diz que esta em busca de uma audiência com o mago elfo e solicita a ajuda de yo para transportá-los até o mago elfo, visto que o mesmo verbalizou que o conhecia. yo solicita que o grupo dê as mãos e tele-transporta todos para a cidade dos elfos. lá chegando deparam-se com um mago de avançada idade que parece incrédulo ao ver o grupo. o grupo fica tenso, pois sabe que o mago elfo não tem afeição pelos humanos. o velho elfo identifica-se como sendo apenas o secretário do mago elfo, oferece refeição ao grupo e sinvael percebe que esqueceu seu lobo na floresta. relata a yo o ocorrido e pergunta se não pode levá-lo de volta, yo teleporta sinvael para junto do lobo. 4 mulheres adentram o recinto sendo 2 humanas e 2 elfas. o grupo conversa com as mulheres. yo intercede pelo grupo e consegue uma audiência com  o mago-elfo. yo teleporta novamente sinvael para junto do grupo, agora, juntamente com seu lobo. na audiência com o mago elfo, o grupo vive um clima tenso e o mago elfo pergunta a cada integrante, o que desejam dele. todos fazem suas explanações e ao final o mago explana uma confusa explicação que o grupo, com a exceção alberich, não entende muito bem. terminada a audiência, alberich explica ao grupo que o elfo viveu a primeira guerra e lutou do lado do bem, mas ressentiu-se, pois após a vitória o grupo vencedor, isolou o conhecimento em "templos" para evitar que novamente houvesse uma nova guerra, o mago aparentemente entende que o conhecimento deveria estar ao alcance de todos. alberich pede nova audiência com o mago elfo."

by Tharival

"O grupo continuou a realizar os enterros dos mortos até o fim da tarde enquanto Tharvial preparava a comida, Sinvael e Arthas realizavam os ritos de passagem das almas, observados por Jhon e Alberith. O restante estava montando guarda na estrada.
Durante o jantar o grupo decidiu que iriam parar na fazendas no caminho para enterrar os mortos.
Durante as orações matinais de Arthas um (não lembro o nome) apareceu dizendo que estava ali para ajudar. Foram feitas diversas perguntas a bolinha e dentro de suas capacidades as respondeu. Quem eram os defensores, o que aconteceu a Irael e a bolinha disse da existência de uma cidade de clérigos.
Na fazenda seguinte Tharival se afastou indo até a floresta e foi atacado por um fantasma, saiu correndo e avisou aos seu companheiros. Quando voltaram, o ranger e o clérigo o fantasma não estava mais la.
ao sairem da floresta Tharival avistou uma tropa de cavaleiros e junto com Arthas correram para uma das casas vazias la ficando. Após alguns instantes os guardas foram embora.
Enquanto isso o restante do grupo estava em outra fazenda e Albrich também avistou o grupo e começou a gritar para chamar a atenção. Todos fugiram para a floresta. e a bolinha ficou para defende-los dando a vida.
Na manhã seguinte enquanto caminhavam na estrada viram um velho se aproximando, ele se identificou como Yo o Morto. O mago disse que conhecia o antigo dono a maça que Arthas carrega e o acusou de roubo. durante a conversa Alberich pediu para Yo levar ele e seus companheiros para a casa do Mago elfo, e foram transportado realmente para a ante-sala do mago.
Surpreso o ajudante do mago perguntou o que estava acontecendo. Logo após o mago desceu de sua sala e surpreso com o que viu chamou Yo para conversar. O ajudante serviu uma refeição para o grupo e logo depois chegaram dua elfas e dua humanas. Tharival foi reconhecido pelo ajudante e pelas elfas e contou que seu irmão havia morrido.
Ao descer ta torre do mago Yo disse que ele iria receber o grupo a noite e assim o fez.
Deixou claro que não gostou da visita e perguntou a cada membro do grupo o qu queriam com ele.
Após ouvir contou sobre o quanto odiava os humanos e mostrou seu descontentamento com o druida e o ranger dizendo que ambos haviam se vendido aos humanos. Após as conclusões de Alberich o grupo solicitou a Yo que marque outra reunião."