Transmorfo
Daniel achava que era um adolescente americano normal, cuja única coisa fora do comum era o fato de sua mãe ser brasileira. Aos 14 anos, descobriu que estava muito enganado, quando, tarde da noite, viu um carro estacionar em frente a sua casa. Três homens de aspecto sinistro saíram do veículo e tocaram a campainha da sua casa. Dave, o pai de Daniel, atendeu e, após uma conversa rápida e tensa, a qual o garoto não conseguiu escutar, partiu com os homens na direção de um bosque próximo. Intrigado com o comportamento de seu pai, Daniel seguiu o grupo até a mata.

Lá, encontrou os quatro falando em uma língua que ele não conhecia. Pelo tom acalorado, não parecia ser uma conversa amigável. De repente, um dos homens, que havia se posicionado fora do campo de visão de Dave, se transformou em um monstro -- uma criatura de presas, garras e escamas -- diante dos olhos assombrados de Daniel. A criatura estava pronta para dar o bote em seu pai, quando o garoto gritou, alertando-o. Num desenrolar ainda mais estarrecedor, Daniel viu seu pai também se assumir uma forma monstruosa e se esquivar do ataque. Nos instantes seguintes, o jovem presenciou uma intensa e surreal batalha onde os participantes mudavam de corpo com a mesma facilidade com que água flui por um leito sinuoso.

Por fim, o combate terminou e o único monstro a sobreviver se transformou novamente em Dave Magellan. O homem caminhou até seu filho e contou-lhe toda a verdade sobre sua origem. Dave era na verdade Maag Elan, um alienígena metamorfo do planeta Durla que havia sido enviado à Terra para observar os humanos. Maag deveria retornar a Durla, mas acabou se apaixonando pelo mundo e povo terráqueos. Quando conheceu Clara, sua futura esposa, cortou todos os laços com seu planeta natal e passou a viver como um humano comum. Porém, os durlanos o haviam achado e queriam que ele participasse como quinta coluna de uma invasão que estava sendo planejada. A luta acontecera porque se recusara, mas ele sabia que não podia mais deixar seu filho no escuro sobre suas habilidades. Daquele em dia em diante, Maag passou a ensinar a Daniel tudo sobre metamorfose.

Alguns meses depois, a invasão aconteceu. À medida que acompanha o avanço da campanha pelo noticiário, Maag sabia que sua presença ali colocava Clara e Daniel em risco -- era apenas uma questão de tempo até que os alienígenas ou as forças humanas viessem prendê-lo. Maag se despediu de sua família e partiu para viver como fugitivo. Como se tivessem esperado uma deixa, poucas horas depois de seu pai ter partido, Daniel abriu a porta da sua casa para oficiais do exército americano, que tinham ordens de revistar a residência à procura de 'Dave Magellan'. Eles não encontraram nada.

Nos dois anos seguintes, Daniel só teve notícias de seu pai por cartões postais esporádicos, até que um dia ele apareceu de novo em casa. A saudades tinha sido maior que a cautela e a felicidade voltou ao lar dos Magellan.

Ela durou pouco.

A Força Aérea americana havia posto a casa sob vigilância e uma hora depois da chegada de Maag, um comando tático chegou à residência com ordens de capturar o durlano -- vivo ou morto. Maag não queria lutar, pois temia que Daniel e Clara saíssem feridos, mas os soldados estavam determinados a fazê-lo pagar pela invasão. Apesar de bem armado, o comando não foi páreo para Maag, um metamorfo experiente. Ele havia derrotado todos, quando do céu desceu um homem cromado, exceto pelas botas azuis e luvas vermelhas, além da silhueta de um átomo no peito. Era o Capitão Átomo. O herói quântico derrotou o durlano rapidamente e, junto com os soldados, o levou para a base da Força Aérea próxima à cidade.

Daniel sabia que não podia ficar sem fazer nada. Ele tinha que salvar seu pai. Afinal, ele tinha os mesmos poderes que Maag. E se conseguisse evitar o Capitão Átomo, as chances de escapar eram boas. Daniel se despediu da mãe, que estava em choque, ainda abalada por descobrir que o marido era um alienígena, e partiu para a base na forma de uma coruja.

Entrar na base foi mais fácil do que Daniel esperava. Apesar de todo o aparato de defesa, os militares não estavam preocupados com moscas e formigas. Demorou um pouco, mas Daniel encontrou o seu pai. Ele estava preso em uma cela especial, hermeticamente fechada com uma grossa porta de aço. A fechadura era eletrônica e precisava de um cartão magnético. Daniel não entendia de eletrônica, mas se lembrava das aulas de matmorfose do pai. Ele transformou os dedos da mão num cartão e o inseriu na fechadura, instintivamente testando várias combinações eletromagnéticas. Com um clang mais alto do que Daniel desejava, a fechadura destravou e a pesada porta se abriu.

Dentro da cela, Maag se encontrava deitado. Estava com sua forma humana, mas ela parecia mal feita em determiandos pontos, como se perdesse estabilidade. Daniel logo percebeu que os militares haviam drogado seu pai. Apesar disso, Maag reconheceu seu filho e tentou dissuadi-lo do seu plano, mas Daniel estava resoluto. Transformando-se em um gorila, Daniel carregou seu pai para fora do prédio, mas obviamente isso não passou despercebido. Logo os dois foram cercados por soldados. A situação estava num impasse até que o Capitão Átomo apareceu. Ele tentou convencer Daniel a se render, mas o garoto -- apavorado e com raiva ao mesmo tempo -- não arredava pé.

De repente, Daniel sentiu algo diferente. Ele havia se concentrado tanto no Capitão Átomo que formou uma espécie de elo com o herói, uma conexão psíquica breve que permitiu ao seu corpo copiar o Capitão Átomo, mas não em aparência, e sim em poder. Daniel começou a brilhar com uma aura quântica. Os soldados ao verem isso, imediatamente abriram fogo. Maag, percebendo que o filho iria morrer, se jogou na frente de Daniel e foi acertado em cheio por vários tiros, caindo no chão com um baque surdo.

Daniel, esquecendo tudo ao seu redor e com lágrima nos olhos, se ajoelhou ao lado do pai, que havia assumido a forma mais comum dos durlanos. Ele olhou o filho nos olhos e disse: "Me perdoe..."

Chorando e soluçando, Daniel foi levado para a mesma cela do pai.

Daniel na escola


Depois de algumas missões